PARA UMA VIDA NOVA

09 fevereiro, 2009

Recebi hoje esta informação por e-mail

"Repassando o sistema terapêutico que eu utilizo. Já tratei duas
pessoas que seguiram direitinho este procedimento e ao longo de 1
ano e meio estavam completamente curadas com exame negativo para
lupus. Com 1 ano foi possível abandonar o uso de imunosupressor.
Espero que ajude.
Abraços
Fabian

Sequência Terapêutica para Lupus
1º. É muito importante retirar totalmente da dieta todo óleo rico em
ômega 6. O ômega 6 é precursor de substâncias alergênicas associadas
diretamente ao agravamento do Lupus. Não há de se preocupar quanto a
ficar com deficiência de ômega 6, pois este tipo de gordura vai
estar sendo obtida dos alimentos (grãos). Substitua assim para
cozinhar todos os seguintes óleos: girassol, canola, milho, soja,
algodão por óleo de palmiste, coco ou babaçu. Estes últimos, possuem
uma substância (ácido láurico), de ação antiinflamató ria e
equilibradora do sistema imunológico. Poderá contudo ser usado o
azeite de oliva extra-virgem sem problemas (não use azeites comuns,
com óleo de soja misturado).

2º. Fazer o uso de reposição de ômega 3 para reequilíbrio funcional
da imunidade: 1 colher de sopa de óleo de linhaça ou óleo de salmão
3 X ao dia. Se esta dosagem soltar os intestinos, reduza para 1
colher de chá, e aumente depois aos poucos até chegar a 1 colher de
sopa 3 X ao dia.

3º. Reposição de magnésio no organismo acelera a eficácia das outras
substâncias utilizadas, principalmente os óleos essenciais. Estudos
mostraram que a porcentagem natural de magnésio no organismo de
pessoas com lúpus é mais baixa que o normal. Muitas dores,
associadas à doenças, são reduzidas quando se repõe magnésio. Como
fazer: Dissolver 33 gramas de cloreto de magnésio P.A. em 1 litro de
água filtrada. Depois de bem misturado, colocar em uma garrafa de
vidro e guardar na geladeira. A dose é um cálice de licor (ou copo
de cafezinho) pela manhã e à noite (2 X ao dia). Após tomar o 1º
litro deste preparado, na segunda sequência utilizar 1 X ao dia
somente (manhã ou noite). Não tomar junto com leite de soja e grãos,
pode ser usado junto de legumes e frutas contudo, ou em jejum.

4º. Reduzir da dieta o consumo de carnes, principalmente vermelhas
ajuda a diminuir o quadro, pois as carnes possuem os aminoácidos
fenilalanina e tirosina que agravam os sintomas do lúpus. Reduzir
laticínios, se consumidos em excesso também ajuda. Utilize mais
leite de soja, leite de castanhas, leite de coco, etc. Substitua as
carnes vermelhas por peixe e não utilize carnes fritas, sempre
assadas ou cozidas. Caso frite, está liberado fazer em óleo de
palmiste, babaçu ou coco.

5º. Se no lupus de pele, se apresentar sensação de dores localizadas
ao tomar sol, fazer o uso de bastante beta caroteno na dieta. Seria
o caso de comer 4 cenouras médias dairiamente, ou 2-3 mamões
papaias, ou realmente aumentar na alimentação os legumes e frutas de
cor amarela-laranja. Mesmo em outros casos de lúpus, isso ajuda a
acelerar o tratamento.

6º. Uso local (se houverem áreas atingidas na pele) do seguinte creme:

Lavanda angustifólia (Lavandula angustifólia) – 2%l
Tanaceto azul (Tanacetum annum) – 2%l
Espruce ou abeto (Abies sibirica) – 2%
Óleo de Linhaça – 5¨%
Babosa gel – 5%
Cloreto de magnésio P.A. – 5%
Creme base sem óleo mineral – qsp.

7º. Uso interno dos seguintes óleos essenciais:

Tanaceto azul (Tanacetum annum) – 3 gotas
Espruce ou abeto (Abies sibirica) – 3 gotas
Copaíba (Copaifera reticulata) – 5 gotas

Tomar 3 X ao dia este óleos todos juntos em uma colher de sopa com
água, mel ou óleo de linhaça ou salmão.

OBS.: Este tratamento varia de 6 meses a 2 anos. Tudo depende do
quadro de avanço do lúpus. É muito importante que sejam feitos todos
os itens acima. Se não forem feitos principalmente os itens:
1,2,3,7 pode fazer com que o tratamento todo não funcione. São a
parte mais importante deste. Resultados do início de melhorias podem
ser vistos dentro do primeiro mês de tratamento, não significando
necessariamente cura. É necessário regularizar a função intestinal
(se houver prisão de ventre), senão nunca irá curar e equilibrar o
ph do sangue. "

COMENTÁRIO:
Fiquei pensando que boa parte dessas recomendações seriam úteis tambem para outros processos reumáticos/ autoimunes, como artrite reumatóide, já que envolvem profundas alterações do sistema imunológico.

6 comentários:

A Voz da Floresta disse...

Parabéns, amiga! Um tema de grande importância para o tratamento de uma doença seríssima.

O Árabe disse...

Interessante e útil post. Obrigado, amiga. Boa semana, muita paz!

Conceição Duarte disse...

Que coisa maravilhosa encontro aqui logo de cara. A ex mulher do meu marido tem lupus, mas não sei em que estágio está e se é sensível a pele como vc se refere aí, dando até a receita do crem para passar e amenizar. Vou copiar, se me permite, e enviar a ela pois, não sabe como entrar aqui, detesta computadores e é mais velha que eu. Nem por isto, se justifica, mas está em outra. Muito legal sua informação.

Vim aqui por te ver por aí, no Eudardo P.L, Flavina, Ravasa e sei lá mais quem, mas és famoso! E vim atrás do texto da tertúlia deste final de semana... Como vc tem vários blogs, vou procurar em todos heheheh

Super carinho, bjihus CON e obrigada por todas as informações que sempre são úteis. CON

Serra do Mar disse...

Endereço de pesquisa sobre auto-hemoterapia :
www.orientacoesmedicas.com.br/auto_hemoterapia.asp - 49k

Serra do Mar disse...

Há relatos de ótimos resultados com tratamento de lupus e outras doenças auto-imunes com auto-hemoterapia. Tratamento antigo, usado em guerras, já salvou muitas pernas e braços de soldados e civis de amputações. Artroses/artrites, entupimentos de vasos sanguíneos e suas consequências (tromboses, isquemias, avcs, placas ateromatosas), aids, hepatites B e C, cancer, viroses. O tratamento aumenta número dos macrófagos no sangue, e eles fazem uma faxina geral no nosso corpo.

Saara Senna disse...

Ótima informação!
É sempre válido.
Gostei bastante.

Beijo grande :)